Sejamos sinceros: empreender e construir um negócio só seu é uma tarefa árdua, que exige muito, mas tem lá suas compensações, certo?

Aquela imagem romântica do(a) candidato(a) a empreendedor(a) que apresenta ao mundo uma ideia brilhante, fomenta a inovação com sua empresa de alta tecnologia, gera milhares de empregos e, em pouco tempo, torna-se um ícone do empreendedorismo e acumula fortunas parece ser o retrato mais bem acabado de um empreendedor de sucesso, não é mesmo?

Ok, realmente é muito lindo, mas o único problema é que histórias assim, embora inspiradoras, são exceções.

Percebe-se que ainda existe muita desinformação em geral sobre o assunto, contribuindo para a difusão de muitos mitos sobre empreendedorismo.

Tanto os mitos que glorificam a realidade, quanto aqueles que a tornam mais dura e complexa do que realmente é, e só servem para dificultar a trajetória de quem quer ter seu próprio negócio.

Nesse artigo, vamos explicar alguns mitos sobre empreendedorismo, demonstrando por que eles não são verdadeiros e te ajudando a entender melhor como é, de fato, a vida de um empreendedor.

Tudo para que você possa tomar suas decisões se baseando nas concepções certas, que realmente expressem qual é a realidade sobre o mundo empresarial. Confira!

Mito 1. “É impossível começar um negócio com pouco dinheiro”

É bem comum potenciais empreendedores adiarem seus projetos por julgarem não ter dinheiro suficiente para começar, o que muitas vezes pode ser um grande engano.

Acredite ou não, muitas vezes é possível começar um negócio com pouco ou quase nenhum capital, segundo pesquisas realizadas por especialistas, 17% de todos os empreendimentos começam com um investimento inicial de até cinco mil reais.

Talvez a maior armadilha desse tipo de mentalidade seja a de acreditar que o dinheiro é o fator mais importante para uma empresa dar certo, o que não necessariamente é verdade.

Pode parecer estranho o que iremos dizer, mas a verdade é que muitas vezes o excesso de recursos pode ser até prejudicial, pois a empresa perde a oportunidade de inovar e encontrar soluções mais eficientes, fazendo muito com pouco.

Talvez um dos muitos desafios de empreender seja o de realmente estruturar o modelo de negócios de forma sustentável, não importando o tamanho do faturamento.

Além disso, conseguir montar um time competente e que “veste a camisa” é tão ou mais importante do que o capital inicial da empresa.

Nada de ficar esperando ter milhares de reais para começar um negócio!

Mito 2. “Empreendedores já nascem sabendo empreender”

Esqueça aquela historinha do “tá na veia”, no DNA, achar que uma pessoa já nasce empreendedora, que empreendedorismo que algo que já vem do berço.

Com certeza, algumas pessoas conseguem desenvolver habilidades de criatividade, negociação, liderança e senso de oportunidade de forma mais natural, mas isso, por si, só não significa muita coisa.

Existe um certo grau de “intuição” sim, nas atividades de um empreendedor, porém, decorre principalmente do aprendizado (e acredite um empreendedor tem sempre de estar se atualizando) e de sua experiência acumulada.

Bem verdade que não precisa estudar formalmente para ser empreendedor, mas é importante buscar informação, pesquisar, procurar conhecimentos e ferramentas que auxiliem na gestão, administração de seu negócio e botar pra fazer.

Portanto, as pessoas não “nascem” empreendedores, mas sim aprendem a ser com o tempo.

Mito 3. “Empreendedores são seus próprios chefes e tem mais liberdade”

Ledo engano, sentimos informar que a coisa não é bem assim..

No geral, as pessoas pensam que a grande vantagem do empreendedorismo é poder trabalhar como quiser, sem ninguém para dar satisfações.

O empreendedor deve estar sempre disponível para seus clientes e fornecedores, não pode tirar férias quando quiser e, mesmo que possua empregados, precisará comandar a empresa diariamente.

Se você não está disposto a ir um pouco além das 8 horas de trabalho isso poderá ser um problema para você.

Um negócio próprio é algo que demanda muito da pessoa, que acaba se dedicando muito mais que um trabalhador convencional.

Por causa disso, em vez de ter mais liberdade, o empreendedorismo traz bem mais responsabilidades e obrigações do que em um emprego de carteira assinada.

Mito 4. “Empreender é coisa para pessoas jovens”

Não é difícil observar que muitos dos empreendedores de sucesso que aparecem na mídia são jovens de pouca idade, que mal terminaram seus estudos e começaram um negócio com grande potencial.

Especialmente quando se fala de Startups, mas a verdade é que a idade não é um parâmetro para o sucesso no chamado “ecossistema” empreendedor.

Na verdade, a idade média de empreendedores bem-sucedidos está entre 35 a 40 anos.

Pesquisas mostram que pessoas acima de 55 anos têm duas vezes mais chances de abrir um negócio que dará certo do que as de 35, isso porque empreendedores mais velhos, normalmente, possuem além da experiência, uma rede forte de relacionamentos construida ao longo dos anos.

Há muitos casos de pessoas empreendendo dos 18 aos 80 anos de idade e tendo muito êxito nesse intento, o que conta é a vontade de criar algo diferente, suprir alguma necessidade de determinado público, resolver as dores de sua clientela.

Mito 5. “É preciso se jogar, correr riscos, ser ousado sempre para dar certo”

Outro mito comum é que empreendedor precisa correr riscos o tempo inteiro.

É claro que empreender é sim uma estrada tortuosa que exige jogo de cintura e coragem para enfrentar as incertezas e riscos no caminho.

No entanto, isso não significa que o empreendedor precise correr riscos sempre, na verdade é mais sobre ponderar, planejar onde correr risco.

Ao analisar o mercado, fazer um planejamento adequado e ter conhecimento, o empreendedor não precisa correr riscos desnecessários, embora não signifique que ele não esteja passível de corrê-los.

Alguns riscos devem fazer parte do cotidiano, sem eles a empresa não sai do lugar e não tem chances de crescer, mas até para correr riscos é preciso ter um planejamento, controle de suas finanças, entendimento do mercado, etc.

Mito 6. “Olha o Steve Jobs, olha o Zuckerberg… Tem que ter uma ideia genial para dar certo”

Ideias inovadoras obviamente trazem sucesso aos empreendimentos, mas isso dependerá muito mais de como será a execução e o desenvolvimento do modelo de negócios da empresa do que da ideia, inovação em si.

A verdade é que nem todo negócio precisa ser necessariamente inovador, são inúmeros os exemplos de empresas que apenas aprimoraram algo já existente, oferecendo um produto ou serviço já conhecido de modo mais eficiente ou com uma qualidade um pouco melhor do que a ofertada no mercado.

Aí entra o feeling, a intuição do empreendedor, que muitas vezes acaba enxergando oportunidades onde ninguém mais vê.

O que fará a diferença é o empreendedor se planejar, organizar, e estar focado em gerar mais resultados para seus clientes.

 

Mito 7. “Já quebrou a cara uma vez empreendendo, vai quebrar outra vez”

Ninguém gosta de falir, ninguém abre uma empresa pensando em falir, mas infelizmente é uma realidade que faz parte do risco de empreender.

Começar de novo após uma experiência ruim não é tarefa das mais fáceis, é preciso muita coragem, mas se fizermos uma pesquisa rápida (no Google, mesmo) encontraremos uma centena de exemplos de grandes homens de negócios que se reergueram e encontraram o sucesso após muitas tentativas.

Agora que esses mitos foram desmistificados esperamos que você vá a luta e alcance o sucesso almejado em seu negócio.

E se sua vontade é empreender, não perca tempo, deixe os mitos de lado e “bote pra fazer”!

 

 

Marketing Nxfácil