Responda rapidamente: qual o nível de faturamento requerido em seu empreendimento para atingir o ponto de equilíbrio, também conhecido como Break Even Point?

Basicamente, o ponto de equilíbrio acontece quando os ganhos se igualam às perdas, ou quando a soma dos custos é equivalente à soma dos rendimentos.

É a partir desse ponto que se sabe qual é o mínimo de unidades que uma empresa deve vender para lucrar, trocando em miúdos ele define quando um investimento gerará um resultado positivo.

Correto concluir que no ponto de equilíbrio os lucros são nulos, mas se a quantidade de vendas superar este ponto, a empresa obterá lucro, mas se as vendas forem inferiores ao ponto, ocorrerá, indubitavelmente, o temido prejuízo.

O Break Even Point (ponto de equilíbrio) é um importante ponto de referência que entra em planejamento e execução de atividades de negócios, pois, ao entender claramente o nível de vendas necessário para cobrir todos os custos, o(a) empreendedor(a) sabe quanto precisa vender para não ter prejuízo.

Como se calcula o Ponto de Equilíbrio?

Uma das formas para identificar qual é o Break Even é levar em consideração as seguintes variáveis:

Custos variáveis: são os gastos para produzir um produto ou para executar um serviço.

Custos fixos: os gastos que são permanentes e não dependem do volume de vendas ou da produção. Exemplos desse tipo de custo são: o aluguel e folha de pagamento dos funcionários.

Vendas: a soma total da venda dos produtos e serviços.

Margem de contribuição: o custo para fabricar uma unidade ou para executar um serviço. Este valor é determinado pela subtração dos custos variáveis pelo total de venda.

Índice da margem de contribuição: que é igual a margem de contribuição dividido pela receita total bruta de sua empresa.

Você deve estar pensando: “ok, legal, mas como funciona isso tudo na prática?”, então para que não fique dúvida alguma, vamos exemplificar com o balanço fictício de uma empresa:

A receita total (RT) = R$ 100 mil.

O custo variável  (CV) = R$ 70 mil.

O custo fixo (CF) = R$ 19.500,00.

A margem de contribuição (MC) – que é o valor da receita total menos o custo variável (RT – CV) = R$ 30 mi.

O Índice da margem de contribuição (IMC) – que é a margem de contribuição dividido pela receita total (MC ÷ RT) = 0,3.

O Ponto de equilíbrio dessa empresa será o custo fixo dividido pelo IMC (CF ÷ IMC), igual a R$ 65 mil.

O montante de R$ 65 mil é o valor que a organização precisa atingir para cobrir todas as despesas (fixas e variáveis), no qual os lucros são nulos, ou seja, não há prejuízo, nem lucro.

Tudo que exceder essa margem será o lucro com o produto ou serviço oferecido pela companhia.

O ponto de equilíbrio influencia diretamente na gestão financeira dos negócios, seu cálculo representa um aspecto importante na determinação do mix de produtos e serviços que uma empresa oferece.

Com base apenas na margem de cada produto ou serviço, o empreendedor ou responsável pela gestão da empresa, pode decidir se concentra mais recursos sobre os produtos ou serviços mais rentáveis, e até mesmo interromper a venda daqueles que não atingem o Break Even.

O ponto de equilíbrio representa a situação financeira de um empreendimento em um determinado momento no tempo, levando em conta o preço do produto ou serviço e os custos fixos e variáveis que existem nesse momento.

Qualquer alteração nos elementos que compõem o cálculo vai mudar o próprio ponto de equilíbrio.

E não importa o tamanho, porte, de sua empresa, tanto empresas em fase inicial quanto aquelas que estão no mercado há mais tempo devem se questionar: quanto preciso vender para atingir meu ponto de equilíbrio? Quanto devo vender para que meu negócio passe a ser lucrativo?

Montar a sua estratégia de negócios pode ser vantajoso baseando-se no Break Even, pois esta é uma verdadeira ferramenta de gestão.

Conte com aquela ajudinha da tecnologia para organizar as finanças de sua empresa com um bom software de gestão empresarial, que é uma medida relativamente simples e barata que pode revolucionar sua gestão.

Com recursos rápidos, mecanismos personalizados e inúmeras facilidades, esse tipo de programa de gestão poupa tempo e permite que as contas estejam sempre em ordem.

O NxFácil, por exemplo, além de lhe dar um controle financeiro completo de seu negócio, ainda permite entre outras coisas, emitir nota fiscal eletrônica, nota fiscal de serviços eletrônica, boletos, controlar seu estoque e muito mais.

É o tipo de investimento que vale a pena e dá um “UP” na gestão financeira de sua empresa. Esperamos que tenham gostado das dicas e que possam colocá-las em prática o quanto antes em seu negócio!

Bruna Klaumann