Não é novidade para ninguém que estamos vivendo em época de grande crise, incertezas e desemprego.

Mas em que pese o desanimador quadro, por trás desse aparente momento negativo pode estar a oportunidade de iniciar aquele projeto de abrir seu próprio negócio.

Com o avanço do desemprego, o trabalho informal voltou a ganhar adeptos no país e aí o Brasil que se vira, resolve se aventurar no universo do empreendedorismo, muitas vezes como profissionais autônomos.

Segundo estatísticas somente em junho deste ano, o número de brasileiros que trabalhava por conta própria no País já havia chegado à casa dos 22 milhões.

E nesse grupo há de tudo um pouco, desde autônomos que pagam impostos, passando por uma grande maioria que está mesmo na informalidade, fazendo bicos e tentando se virar como pode e como dá.

Uma alternativa para quem deseja fugir da crise, ter uma renda extra, mudar sua vida, sua condição e ter um negócio próprio e com um custo relativamente baixo são as lojas virtuais, que nada mais são que um site que permite a venda através da Internet.

Esse tipo de comércio surgiu em meados dos anos 90 e representa uma verdadeira revolução no modo de fazer negócios, também é conhecida como comércio eletrônico.

Na loja virtual não tem presença física nem do comprador, nem do vendedor; pois a relação ocorre entre um comprador e um sistema hospedado em um computador localizado em qualquer lugar do país ou até mesmo fora.

O ambiente da loja virtual permite ao administrador da loja fazer o cálculo automático de fretes, cadastro dos produtos e preços, e facilita ao cliente realizar o pagamento da sua compra.

A criação de uma loja virtual é um processo relativamente simples e pode ser realizado inclusive pelo próprio candidato(a) a empresário(a), desde que este possua conhecimentos de informática.

Empresas especializadas em plataformas oferecem roteiros em seus sites que permitem a implantação e utilização dos softwares para construção da loja, com baixo nível de complexidade.

No entanto, ainda é bastante comum que o(a) empreendedor(a) contrate programadores que constroem sua plataforma do zero, o que geralmente a depender da complexidade, envolve grandes custos.

E ainda deve-se tomar o máximo de cuidado para que o serviço de hospedagem da loja virtual tenha alta disponibilidade e segurança, para que o sistema permaneça estável e a possibilidade de ataque ao portal seja dificultado ao máximo.

Deve-se ficar atento(a) para que infraestrutura de hospedagem ofereça também o recurso de “backup” para que as informações estejam sempre disponíveis e salvas de ataques.

Na maioria dos casos, em se tratando de lojas virtuais de pequeno e médio porte, esses serviços fazem parte do pacote terceirizado e ficam a cargo do provedor de acesso contratado.

Os meios de pagamentos de uma loja virtual são os mesmos disponíveis para as lojas físicas, acompanhe:

  1. Boleto Bancário: Integrado com os bancos conveniados permite o pagamento e a liberação do pedido mediante a comprovação da liquidação;
  2. Transferência eletrônica: Interação em ambiente seguro com bancos credenciados;
  3. Financiamento: Liberação online de acordo com condições de financiamento negociadas junto a financeiras;
  4. Cartões de crédito: Representam a forma mais comum de pagamento, realizado através de integração entre a loja virtual e as administradoras, o que permite a efetivação da operação com o cartão e liberação imediata da compra. As operações com cartão de crédito permitem parcelamento e essas condições podem ser negociadas entre a loja e as administradoras de cartões.

E sinceramente, nunca foi tão fácil apostar no comércio eletrônico (e-commerce), apesar da desaceleração, o e-commerce continua crescendo e oferecendo muitas vantagens aos empreendedores.

Entre elas a chance do negócio próprio, da independência, preços mais competitivos, oferta dos mais variados tipos de produtos e serviços, entre outros.

Atualmente, diversas empresas oferecem tecnologias para montar uma loja virtual, basta fazer uma pesquisa rápida para que uma avalanche de opções “desmorone” na tela do seu desktop ou mobile.

E pasmem, há inclusive no mercado, muitas plataformas que fazem lojas virtuais sem custo inicial, apenas com manutenção mensal e até mesmo com alguns planos gratuitos. Isso mesmo, você não leu errado!

Algumas delas, inclusive, facilitam todo o processo de vendas e pagamento com integrações via Paypal ou Pagseguro.

Desta maneira, listamos algumas plataformas e websites que podem lhe ajudar na tarefa de montar um eCommerce (loja virtual) sem grandes investimentos:

  • Nuvem Shop:
  • O nuvem shop é um sistema de loja virtual que permite ao usuário fazer um teste gratuito e vender seus produtos gratuitamente por 15 dias.
  • Após o período de testes os preços variam de R$ 29,00 até R$ 349,00 por mês.
  • Alguns dos nossos clientes utilizam o Nuvem Shop e aprovam!
  • LikeStore:
  • Você pode vender dentro de uma Fanpage do Facebook.
  • Você paga a taxa de 2% sobre produto vendido, mais a taxa do Moip que é de 3,49% para débito e boleto e 5,90% para crédito, mais R$0,69 por transação.
  • Enjoei, uma lojinha para você desapegar de tudo que não aguenta mais.
  • Você paga uma taxa de 20% do valor do produto vendido, e ainda tem um desconto de R$2,15 que é o valor da taxa de anúncio, se você optar por seguro do frete, esse valor também será desconto do valor da sua venda.
  • Loja Integrada:
  • O Loja Integrada é outro sistema que permite ao cliente vender seus produtos online de forma rápida e fácil.
  • Mesmo tendo planos pagos, o grande diferencial é que é possível utilizar o Loja Integrada de forma gratuita para sempre. Mas fique de olho nas vantagens e desvantagens de cada plano.
  • Illuria:
  • O Illuria é mais um que permite ao usuário vender via internet.
  • É possível fazer um teste grátis com até 25 produtos. Os valores variam de R$ 9,90 até 149,90 mensais.
  • Mercado Livre:
  • O famosos e badalado Mercado Livre é o marketplace mais conhecido na internet.
  • Suas taxas são muito variáveis, depende do tipo de anúncio que você quer fazer, do tipo de exposição, confira neste link como funcionam as tarifas do Mercado Livre.
  • Elo7:
  • A plataforma Elo7 é um marketplace voltado para o artesanato.
  • Para cada venda realizada é descontada uma taxa de 12% do valor total do pedido, neste valor já está incluso as taxas do pagamento.
  • Minestore:
  • Não cobra nenhuma mensalidade.
  • Você paga 2,99% + taxa do meio de pagamento por pedido aprovado.

Você ainda pode experimentar as lojas virtuais da LocawebUOL, LojaVirtual e BoxLoja. Estes últimos, não temos informações sobre a usabilidade e de clientes.

Você também pode realizar uma pesquisa no Google.

Há uma plataforma de código livre, o Magento, inclusive muitas empresas famosas utilizam essa plataforma em suas lojas virtuais.

Você pode fazer o download sem custos e configurar sua loja virtual sem custo nenhum, porém, se não tiver conhecimentos de programação vai precisar contratar alguém que faça isso e assim, acaba não sendo tão gratuita.

Estes sites interessantes voltados para o segmento do comércio eletrônico, podem lhe ajudar a montar uma loja virtual:

Bom se informar antes sobre política de depósitos em algumas das plataformas apresentadas, já que em alguns casos o valor recebido pode demorar até 30 dias úteis para ser creditado para o vendedor.

Então, antes de colocar seus produtos para vender em uma plataforma gratuita, é bom ler todos os termos e condições.

Depois de ler tudo, certifique-se de que você entendeu e não restou nenhuma dúvida, e só então depois disso avalie se colocar seu produto para vender numa plataforma gratuita vale a pena.

Quer você opte por ter uma loja virtual gratuita, quer opte por algum plano, quer opte pelo desenvolvimento de uma plataforma do zero, se você quer ganhar dinheiro com uma loja virtual, deve estudar todos os custos de ter a sua própria loja virtual, como domínio, plataforma, sistema de pagamentos e tudo mais que for necessário.

Não existe receita fácil, o negócio é pesquisar, estudar, analisar!

Obviamente, listamos apenas algumas das opções mais “famosas” atualmente no mercado, com um pouquinho de paciência você encontra outras tantas.

Necessário frisar que se for escolher alguma plataforma paga, escolha aquela com menores taxas e melhores condições, sem esquecer que você sempre pode ter a sua própria loja virtual.

Conte sempre com as dicas e aquela ajudinha do NxFácil na gestão financeira do seu negócio, no que depender de nós, seu negócio será um sucesso!

Bruna Klaumann