Os anos 70 foram icônicos em todos os sentidos: foi a década dos grandes movimentos, a revolução sexual ganhou força, foram marcados pela busca da liberdade, juventude e quebra de tabus.

Foi um período de grande efervescência política e cultural e justamente nesse contexto por volta de 1976 em Dublin, na Irlanda, um caldeirão cultural atraía jovens para o mundo da música, oferecendo a oportunidade de mudança de vida e muita diversão.

Um menino de 14 anos, que tocava bateria, colocou um anúncio no jornal da escola procurando outros interessados em formar uma banda e assim Dave (The Edge), Dik, Paul (Bono Vox) e Adam se juntaram a Larry e formaram um grupo chamado Feedback.

Depois de algum tempo o nome mudaria para The Hype e, após a saída de Dik, o grupo seria rebatizado com o nome que se transformou em uma das marcas mais relevantes do mundo da música, a saber: U2.

O U2 nasceu com um pé no punk rock e gravou seu primeiro álbum em 1980.

Trinta anos depois, havia vendido cerca de 180 milhões de discos e se tornado uma daquelas bandas hors concours, a quem poucos ou quase ninguém torce o nariz (sempre há os do contra).

Conhecer um pouco da história dessa banda pode nos ensinar muito, principalmente sobre consistência de marca.

Logo de início, a banda chamou a atenção por uma postura agressiva e até certo ponto panfletária, com letras profundamente religiosas ou políticas.

Até mesmo quem não é lá muito fã dessa banda em algum momento deve ter se deparado com alguns de seus inconfundíveis hits, afinal, quem não conhece a icônica música “Sunday Bloody Sunday”, uma crítica pesada à guerra civil na Irlanda?

Com uma grande presença de palco e a empolgação de quem se acha capaz de mudar o mundo, Bono (ou Paul David Hewson, por essa você não esperava, não é mesmo?) catalisou uma série de valores e os incorporou ao U2.

Como toda marca, desde o início o U2 definiu seus diferenciais (as características do som, a profundidade das letras, o magnetismo do time) e foi a campo vender seu peixe (ou sua música).

Com todas essas credenciais e histórico o U2 com certeza tem muito a nos ensinar sobre sucesso, branding e porquê não empreendedorismo? Acompanhe:

Crie uma base de clientes.

Quando o U2 iniciou suas atividades musicais, se concentrou em pegar a estrada e criar uma base de fanáticos tanto na Inglaterra como nos Estados Unidos, fazendo dezenas de excursões (shows) por esses países, enquanto a estratégia de outras bandas era tentar alcançar o sucesso por meio das rádios.

O resultado dessas estratégias?

Bem, mesmo quando essas bandas alcançavam o almejado sucesso comercial, esse êxito de certa forma não era completo, pois, sua base de seguidores conheciam apenas a “música de trabalho”, ignorando totalmente o resto do repertório da banda (o famoso toca Raul), o que acabou convertendo muitos desses grupos musicais em “one hit wonders”.

Sua empresa deve trabalhar duro para estabelecer uma base de clientes que lhes permita crescer.

Tratar de conseguir um cliente estrela pode até ser bom em alguns aspectos, mas se esse grande cliente simplesmente parar de fazer negócio com sua empresa, você se verá em maus lençóis.

Ter um grande cliente é vantajoso com certeza, mas se puder diversificar e ter vários clientes, ajudam a mitigar o risco e a dependência do negócio.

Planeje o longo prazo.

Ao conseguir seu primeiro contrato com uma gravadora, Paul McGuinness, o poderoso empresário da banda e considerado por muitos, como o quinto membro, conseguiu o feito de manter com a banda os direitos sobre suas canções.

A norma até então era que a gravadora seria dona dos direitos das canções e que poderia fazer o que bem entendesse com esses direitos.

E essa sábia decisão permitiu que o U2 não só usufruísse dos royalties gerados por seu catálogo de trabalho, mas também, mantivesse o controle artístico.

Você como empreendedor(a) deve pensar no longo prazo e saber valorizar o seu produto ou serviço, especialmente quando estiver fazendo negócios com uma empresa que seja maior que a sua.

Antes de sair por aí fazendo grandes concessões, grandes barganhas em detrimento de seu fluxo de caixa, em detrimento de sua margem de lucro, só porque ter aquele cliente x seria bom para a reputação, recorde-se deste dito “pão para hoje e fome para amanhã”.

Por mais que sua empresa seja um player pequeno de mercado, esteja no início de suas atividades, valorize seu produto ou serviço, não o menospreze, respire fundo, evite imediatismos e planeje os próximos passos e estratégias de olho no longo prazo.

Inovar no produto ou serviço é importante, mas também é fundamental inovar na comunicação com o público.

Diferente de outras bandas como por exemplo, Rolling Stones e Bon Jovi o U2 está sempre inovando sua música.

A banda mudou seu estilo pelo menos umas quatro vezes desde que iniciou e isso acredite ou não, a tem ajudado a ganhar novos fanáticos, enquanto ao mesmo tempo ainda mantém seus fãs mais hardcore.

Por esta razão é possível ver nos concertos da banda seguidores ensandecidos de 15 anos até os acima da faixa dos 50 anos, todos cantando empolgados os grandes hits do grupo musical.

Em uma sociedade que valoriza o instantâneo e o efêmero, manter o sucesso por mais de 40 anos, atravessando gerações, costumes e culturas, faz pensar e gera insights para quem está interessado em se perpetuar.

E o caminho para o sucesso de sua empresa, talvez passe justamente por essa receita, de seguir inovando seu provando ou serviço para atrair novos clientes ao mesmo tempo que mantém fidelizados aqueles consumidores que já foram captados.

Este ponto é fundamental para que sua empresa possa crescer e principalmente, manter-se no mercado.

Mantenha seu ideal ou visão.

Para seus fãs o U2 sempre foi mais que uma simples banda de Rock n Roll, seu ativismo à favor de causas como Anistia Internacional, ONE, Live Aid e Live 8, entre outros, tem permitido que sua audiência conheça e se envolva com essas causas também.

Depois de tantos anos e todos os êxitos alcançados pelos quatro integrantes da banda, eles seguem sendo amigos e com os mesmos valores de quando iniciaram sua trajetória rumo ao sucesso.

Com seu negócio não deve ser nada diferente, em sua empresa você deve ter bem clara, sua visão de negócios, sua missão e valores, qual o ideal que você quer transmitir para sua clientela.

Exemplos práticos disso são a Apple que mantém sua visão de ser a pioneira no design de seus produtos, a Porsche e a Ferrari que possuem uma visão específica do tipo de automóvel que querem produzir para sua clientela e por aí vai.

Essa clareza na visão ou ideal de negócio destas empresas tem lhes permitido alcançar o sucesso nos segmentos de mercado de que atendem.

Nos seus mais de 40 anos juntos, o U2 tornou-se lendário por nunca parar de crescer, aprender, refinar, errar e aperfeiçoar seu talento, essa é a lição do U2, aprender sempre no meio do caminho, adaptar-se às mudanças e “recandidatar-se ao seu próprio emprego”.

Marketing Nxfácil